11 de jul de 2012

1. A chegada.


Catarina.

- Cat, mexe-te! Queres mesmo chegar atrasada ao último dia de aulas? - a minha mãe chamava-me no fundo das escadas.  «  não deve ser assim tão tarde » pensei, tirando a mão de dentro do cobertor para ver as horas. « ups, já são quase oito. » . Levantei-me com imenso esforço, e fui tomar um duche rápido. - Ah, estava a ver que hoje não ias sair da cama. - disse, mal me sentei à mesa para tomar o pequeno almoço. - E já tens tudo preparado para amanhã? - assenti com a cabeça, meia molenga.

- Levas-me, ou terei de ir a pé? - perguntei, depois de ter comido tudo. - Quer dizer, vendo as horas, é melhor seres tu a levar-me. - ela riu-se. - Não posso faltar? É que estou cheia de sono, mãe. - ela lançou-me o seu olhar de negação. - Okay .. - peguei na mala, assim que a vi pegar nas chaves do carro.
                                                                               
                                                                         ****
- Bom dia! - disse, a Patrícia, a minha melhor amiga. - Bem, estás cá com uma cara de sono.

- Pois, ao contrário de ti, eu amo dormir. - eu nunca percebi onde é que a rapariga vai buscar esta energia toda pela manhã. - Não sou como tu. 

- Pronto, já não está aqui quem falou. - eu não respondi. - Então se estás assim e são só oito e meia, amanhã às cinco da manhã deves estar linda, sem dúvida. - amanhã eu ia para Londres, com a Patrícia passar lá as férias de Verão.

- Londres é Londres, amiga. Para isso, até fico acordada toda a noite! - ela riu-se. - Agora, podemos ir comer qualquer coisa ao bar? Estou esfomeada! - ela assentiu com a cabeça, e lá fomos nós.
                                                                             ****

Acordei às quatro e um quarto da manhã para me preparar para apanhar o avião. Iria ser o melhor Verão da minha vida. Londres, melhor amiga, restaurantes ... há qualquer coisa melhor ? Não, não há! Senti o meu telemóvel a vibrar, era uma mensagem . « acordei, vê lá se te despachas, porque Londres está à nossa espera! » . Pensei em não responder, mas depois ela ainda pensava que eu estava ferrada a dormir. « não te preocupes, que já estou acordada, Pati. » respondi.  Peguei nas minhas coisas e pu-las na mala do táxi que estava à porta de minha casa para me levar ao aeroporto.

- Catarina, tu porta-te bem, ouviste? - disse a minha mãe, antes de eu entrar no táxi. - Vá, dá um abraço aqui à tua mãe que não vais ver durante algum tempo. - ela abriu os braços, e abracei-a.

- Mãe, eu porto-me bem! Vá, beijinhos! - disse, entrando para o táxi. Ainda vi algumas lágrimas de saudade no seu rosto, mas nada de mais. Assim que cheguei ao aeroporto, vi a Patrícia que veio ter comigo de imediato.

- Ainda não acredito que vamos para Londres, sozinhas! - disse, dando ênfase ao " sozinhas". Ela estava super entusiasmada.

- Acalma-te, Pati. Percebo esse entusiamo, mas acalma-te. - disse, rindo-me.
                                                                                 
                                                                                   ****
Senhores passageiros, pedimos que coloquem o cinto de segurança para procedermos à aterragem. Dentro de instantes estaremos a pousar na pista do Aeroporto Londrino. Sejam bem-vindos a Londres e obrigado por viajarem na nossa companhia.” - acordei com esta voz " irritante" . Olhei para o lado e vi a Patrícia a rir-se que nem tonta.

- Tu estás bem? - disse, despertando a sua atenção. - Acalma-te, mulher! - ela tirou o cinto de segunrança.  Fomos buscar as nossas malas, quando de repente vou contra algúem.

- Desculpa. - disse. Era um rapaz de cabelos " ondulados" castanhos. O seu sotaque britânico sobressaiu logo . - Estás bem? - eu assenti com a cabeça. - Desculpa mais uma vez! 

- Não faz mal. - disse. - Acho que te estão a chamar .. - disse, após de ter olhado para um rapaz de cabelos encaracolados a chamar « Liam ». - Isto se te chamas Liam. 

- Sim, sou o Liam. - sorriu .- Tenho mesmo de ir. - eu disse « ok » e ele lá foi ter com mais quatro rapazes e alguns homens. Reparei num rapaz loiro que estava a falar com ele. Era mais baixo dos que os outros todos, parecia um duende ..

- Mas quem é o jeitoso contra quem tu chocaste? Que peça. - disse, vindo ter comigo toda deliciada.

- Chama-se Liam. Não faço a mínima de quem seja. - disse, olhando para o rapaz loiro. - Mas esse Liam é de cá, tem sotaque. - ela encolheu os ombros e seguimos para o apartamente que alugámos.

1 - Obrigada pelas 19819 visitas, a sério!
2 - Espero que gostem o primeiro capítulo. Quero muitos comentários, ouviram?!
3 - Repararam na imagem que postei lá em baixo ? Há que sonhar, certo? 
4 - Patrícia, és linda!
5 - Era mesmo só isto, por isso, beijinhos! :D

5 comentários:

  1. Aquele momento em que até numa fic me chamas 'Pati' que linda.
    Gostooooooooo!
    Trish x

    ResponderExcluir
  2. eu percebo, tipo, sou eu, e ficas sempre muito emocionada quando te digo isso, porque .. coise :D

    ResponderExcluir
  3. MORE (:
    Será que podes ler a nossa nova Fic e partilha-la ?! Thanks (:

    ResponderExcluir
  4. Alice : :p
    Filipa and Raquel : esqueçam, eu li " mor" e fiquei do tip " que confianças" . HAHA, eu não regulo. Partilhei :p

    ResponderExcluir